Perder o emprego, auto-estima e ansiedade

Vivemos tempos conturbados, em que por diversos motivos a pressão da mão de obra barata das economias emergentes tem vindo a afectar a empregabilidade de algumas economias, não perder o emprego passou a ser uma das maiores preocupações da maioria das pessoas, mas por vezes as circunstâncias não permitem que mantenha a tão desejada estabilidade profissional. Perder o emprego pode trazer algumas consequências nefastas além da questão financeira, a autoconfiança sofre um abalo quando se depara com o desemprego na sua vida. Neste artigo irei descrever a minha versão do que penso que irá suceder na sua vida após perder o emprego, a nível pessoal e familiar, bem como a melhor forma de recuperar a sua auto-estima mantendo níveis aceitáveis de ansiedade.

Ser despedido ou perder o emprego e a autoconfiança

Perder o posto de trabalho sem ter qualquer culpa provoca uma quantidade enorme de stress e ansiedade, podendo ser comparado a um divórcio, a morte de um familiar chegado ou mesmo ir para a cadeia. É uma das situação mais stressantes a que uma pessoa pode ser submetida na nossa sociedade, nem todos sentem o mesmo nem reagem da mesma forma, isso porque a autoconfiança varia de pessoa para pessoa.

As pessoas que fazem parte da vida de quem perdeu o trabalho e agora se encontra no desemprego, não entendem o turbilhão de emoções, sentimentos e pensamentos que de um momento para o outro passam a fazer parte da vida daquela pessoa. Caso se encontre nesta situação, entenda, as pessoas que fazem parte da sua vida estão apenas a tentar ajudar, mas como não passaram pelo mesmo é difícil para elas entender o seu sofrimento, as pessoas que o rodeiam sentem de forma diferente a situação pela qual está a passar neste momento.

A sua dor é real, a ansiedade que está a sentir neste momento é real, não a negue, perder o emprego deixa um vazio enorme e é normal sucederem ataques de pânico. O que é normal pois é uma situação que pode ser comparada ao luto, o seu trabalho foi sem dúvida uma grande parte de si, por vezes misturando a sua identidade pessoal com o seu trabalho que desempenhava, “Olá, eu sou web designer…” é um dos exemplos de como se passa a identificar com o seu trabalho.

Procurar emprego, o regresso ao trabalho

Quando se sentir preparado para regressar ao mercado de trabalho, e esse momento irá chegar, mais tarde ou mais cedo, comece a registar as suas capacidades técnicas e profissionais adquiridas ao longo do seu percurso profissional. Depois de colocar no papel todas as valias que adquiriu analise se existe alguma coisa que precise aprender ou melhorar para voltar em força num emprego que seja do seu agrado.

A medida que vai adquirindo novas valias a sua autoconfiança irá aumentar e a ansiedade diminuir, irá sentir-se novamente de volta ao jogo e com mais força que nunca. Encare este processo como uma oportunidade para se renovar e procurar aquele emprego que sempre sonhou ou para aceitar um trabalho que pode parecer um passo atrás na sua carreira mas que lhe dará a estabilidade necessária para continuar a procurar o emprego que realmente deseja.

Após começar a enviar currículos para várias empresas prepare-se para as perguntas das entrevistas de emprego e sem descurar a importância de causar um impacto positivo nas entrevistas de emprego lembre-se que é tão importante saber vender o seu conhecimento como a sua imagem, o seu marketing pessoal assenta tanto no que vale como na forma que utiliza para demonstrar o seu valor, não é apenas o conteúdo que conta, mentalize-se que uma boa apresentação aumenta de forma drástica as suas possibilidades de conseguir aquele emprego que tanto deseja.

Artigo da categoria Bem-Estar, Sucesso Profissional e com as tags , , , , . Guardar nos favoritos.

18 Responses to Perder o emprego, auto-estima e ansiedade

  1. Reinaldo Chagas diz:

    Bom dia!

    Agradeço pelo contéudo apresentado com certeza são dicas valiozas para quem está atuando ou para aqueles que buscam está no mercado de trabalho.

    Abraços

    Reinaldo Chagas

  2. eduardo rocha diz:

    Boas dicas.

    Um abração!

    Eduardo Rocha

  3. Esse artigo é de grande valia para aqueles profissionais que conhecem seus limites, pois é realmente algo que acontece em nossas vidas inevitavelmente.

    Parabéns e obrigada!

  4. Charles Fernandes diz:

    Olá,

    Muito bom o texto! Você ou alguém teria alguma dica para que se possa fazer um bom marketing pessoal, se vender bem, sem parecer arrogante?

    Forte abraço e obrigado!

  5. Humberto diz:

    Muito bom texto e muito real.
    Infelizmente encontro-me em situação de desempregado e fiquei realmente muito abalado quando fiquei sem o trabalho que tanto gosto de fazer.
    Passei, como todos passam, por várias fases e, tal como é referido no texto, de pessoa para pessoa, variam, invariavelmente, de intensidade e duração.

    Pessoalmente e felizmente encontrava-me a aprofundar conhecimentos com um curso que estava a iniciar e, se por um lado o desemprego foi algo assustador que me preencheu com sentimentos de extremo desamparo interferindo inclusive nos estudos, com o tempo e recuperando aos poucos o choque inicial, encarei a possibilidade de me dedicar cada vez mais ao curso, abraçando perspectivas e objectivos que me permitem agora acreditar e ajudar a concentrar na esperança de encontrar a referida estabilidade (que aos poucos começo a definir como sendo apenas fazer algo que nos dê prazer, já que o conceito de emprego estável se torna cada vez mais utópico).

    É muito importante definir objectivos, acreditar que estão ao nosso alcance, erguer a cabeça e ir à “luta”.

    Um bem haja!
    Humberto

  6. JAQUELINE CERQUEIRA diz:

    ADOREI TUDO QUE TEM FALO ,E VERDADE JA PASEI POR ESSA SITUAÇÃO E PAREI PENSEI NOS MEUS GRANDES ERROS FIS UMA ANALISE DE TUDO . ESTOU EM UMA EMPRESA CORRIJIMDO MEUS ERROS TORNAMDO TUDO DIFERENTE COM MEUS ACERTOS ..

  7. Valdir diz:

    Conteúdo da mais alta qualidade sem sombra de dúvida. As dicas apresentadas são muito valiosa para todos.

    Sucesso!!

  8. Eduardo Rahmeier diz:

    Bom, o que posso esclarecer é que de muito fácil descrever algo sem estar sentindo na pele, pois sua dedicação, seu emprenho, seu momentos de dedicação extra pela empresa, nada tem valor. O que me frustra é que a tal ” qualificação” que tanto impõem quando você a concretiza, a contemplação vem em seguida, seu desligamento.

  9. gilson diz:

    obrigado pelas dicas

  10. Foi bom ler o que toda gente podia praticar.nao custa nada eu faço relaxamentos e sinto me outro.com menos peso e menos dor de cabeça.

  11. Walterleide Andrade diz:

    Sabe-se que o marketing pessoal para o mercado de trabalho é de suma importância, pois através do mesmo o profissional utiliza-se da sua imagem para conseguir emprego.No entanto,todas as pessoas que almejam ser uma colaborador no mercado de trabalho devem ter em mente qualificação profissional e saber que tudo é um processo.Trabalhar o autoconhecimento é o primeiro passo,haja vista que tal situação serve para identificarmos nossos pontos fracos e fortes.Melhorar os pontos fracos e elevar os fortes. Utilizando meios através de cursos, terapias e outros. Cursos online são bons, mas acredito que sempre é bom fazer também presencial.O contato com o outro é de grande valia.Até porque relacionamentos acontecem.E ter amizades no mercado de trabalho é muito bom.

Deixar uma resposta